O Beirão que cacarejava como a galinha – Loja Licor Beirão
Adicionar ao carrinho

O Beirão que cacarejava como a galinha

No dia 11 de Março de 1940, recorrendo ao dinheiro que tinha conseguido juntar com a atividade de vendedor de máquinas de escrever da Remington - onde o jovem ganhou o prémio de melhor vendedor a nível nacional – José Carranca Redondo comprou a fábrica (e o segredo) do Licor Beirão. Ao investir todas as suas poupanças - doze contos – nisso, o jovem empresário dava o primeiro passo na longa história da maior marca de bebidas espirituosas do país. O passo seguinte foi ainda mais arriscado: pedir dinheiro emprestado para fazer publicidade.

Depois de conseguir reunir dinheiro suficiente para investir em publicidade, o “Senhor Licor” pôr mãos à obra. Aos domingos, e ajudado por três amigos “pagos” com o almoço e o jantar, saía munido de cartazes, tintas e pincéis, para publicitar o Licor de Portugal, em vários pontos do país.

A ideia fez do Licor Beirão a primeira marca nacional a ser publicitada em grande escala. Apesar de estar sedeado na Lousã, Carranca Redondo manteve sempre um pensamento global, de escala, o que o levava a percorrer o país inteiro, de Norte a Sul. Nesta fase era a esposa de Carraca Redondo, Maria José, que assegurava toda a produção do Licor Beirão com a ajuda de apenas três ou quatro funcionárias, e foi Maria José quem garantiu durante décadas a produção e o engarrafamento do licor, assegurando o crescimento e o sucesso do produto.

Família Licor Beirão

Estes painéis publicitários ao ar livre que Carranca Redondo ia colando e pintando, com as próprias mãos, à beira das estradas de Portugal, foram os percursores dos atuais outdoors. Apesar do inconveniente de ser necessário espalhá-los pelo maior número de locais possível, para que a mensagem atingisse um número significativo de potenciais compradores, estes painéis revelaram-se um recurso muito eficaz. A prova disso é que ainda hoje são utilizados por marcas das mais diversas áreas, apesar da grande variedade de meios técnicos e tecnológicos ao dispor.

Na altura, a sua dinâmica atividade publicitária era olhada com alguma desconfiança mas o empresário nunca teve dúvidas do caminho a seguir – e nunca hesitou em meter as mãos na massa para realizar os seus objetivos. “A galinha quando põe um ovo, imediatamente cacareja”, costumava dizer Carranca Redondo, enquanto carregava o carro com latas de tinta...

 

 

Subscreve a nossa newsletter!

* indicates required

Ver todas as entradas no blog

Compartilhar esta postagem

Co-financiado por: